quarta-feira, 14 de maio de 2008

Obrigado por fumar.

O episódio de o Primeiro-Ministro e o Ministro da Economia violarem a lei do tabaco, fumando durante um vôo onde o fumo é rigorosamente interdito, é uma tão grave demonstração de falta de respeito pela lei que, num país com menos "brandos costumes", seguramente não ficaria impune. Entre nós, pelo contrário, acha-se que os governantes estão acima da lei, que só deve valer para outros, inventando-se todas as desculpas para não a aplicar aos membros do Governo, quando deveriam ser eles a dar o exemplo.
Efectivamente, como "o respeitinho é muito bonito", lá vem a TAP desculpar o Primeiro-Ministro, a dizer que nos vôos fretados, o fumo é "à vontade do freguês". De facto, só faltou dizerem, como no filme "obrigado por fumar". Valha-nos a firme reacção de Jorge Miranda e Vital Moreira, que denunciaram a evidente violação da lei.
Se o Primeiro-Ministro e o Ministro da Economia tivessem um mínimo de consciência, solicitariam humildemente, no regresso a Portugal, que lhes fosse aplicada a sanção que a lei prevê para esta infracção. Não me parece, porém, que o venham a fazer. Na verdade, a mentalidade comum é que a lei é para os outros.

2 comentários:

joshua disse...

Tendo em conta tudo isto que sabemos, temo pelo jornalista ou jornalistas que ousaram falar do que se passou para lá das cortinas.

PALAVROSSAVRVS REX

Frederico disse...

É verdade a imunidade dos políticos permite-lhes assobiar para o lado , e fazer de conta que não é nada com eles .
De facto esta situação é lastimável denota uma total falta de civismo para com as outras pessoas , e pensarem que podem violar um regulamento geral e abstracto.


Frederico