terça-feira, 18 de novembro de 2008

Os conflitos na Ordem dos Advogados.

O conflito que grassa na Ordem dos Advogados e que opõe o Conselho Superior e os Conselhos Distritais ao Bastonário atingiu nos últimos dias níveis absolutamente inaceitáveis, como evidencia a leitura do site da Ordem, transformado numa publicação dos inúmeros comunicados do Bastonário dirigidos em todas as direcções, qual romance de folhetim.
Apesar disso, achei extremamente incorrecta a atitude de um dos meus anteriores concorrentes nas eleições, em mandar um e-mail a todos os advogados, pretendendo liderar uma facção neste conflito, para o que não tem um pingo de legitimidade. Era por isso de esperar que o Bastonário reagisse, mas os termos dessa reacção não são seguramente o que deveríamos esperar de um Bastonário. Afinal, Marinho Pinto prometeu sucessivamente que não entraria em polémica com qualquer advogado. Dispensavam-se por isso os epítetos utilizados.
Em relação ao Orçamento da OA, apenas a Asembleia Geral dos Advogados é competente para o aprovar, não tendo o referido orçamento sido sufragado nas eleições em que também participei. Esperemos que os Advogados compareçam na Assembleia Geral e que resolvam estas questões com a serenidade e a dignidade que devem ser seu apanágio.

2 comentários:

Dinis disse...

E não para. Agora é contra os juízes. Entretanto foi hoje publicado um diploma - 226/2008- que altera (once again) a acção executiva e mais umas coisas. Que faz o Bastonário: "pega-se" com colegas e juízes...

Rui Figueiredo Vieira disse...

Sinto-me revoltado e ultrajado, a justiça, em especial a AO nunca esteve tão por baixo. Estamos a falar de coisas muito sérias, estamos a falar na própria dignidade pela qual se deve pautar o exercício da Advocacia, do direito, dos seus intervenientes. Se é que se pode utilizar a palavra bater no fundo, esta é a altura certa, o site da AO está transformado em moço de recados, isso é inadmissível e ultrajante. Cumprimentos